Início > Uncategorized > CAB | Maria Rita cai no samba em CD que fica entre o quintal e a boate

CAB | Maria Rita cai no samba em CD que fica entre o quintal e a boate

Fonte: O DIA / Mauro Ferreira

Imagem

“Mais uma vez / Aqui estou /… / Meu bloco ‘tá’ na rua”, avisa Maria Rita, ao som de surdo e cuíca, em versos de ‘Meu samba, sim, senhor’, música que abre o segundo CD de samba da cantora, ‘Coração a batucar’, que vai ser lançado amanhã.

Com tais versos, a artista faz o ‘link’ de ‘Coração a batucar’ com ‘Samba meu’ (2007), seu primeiro disco dedicado ao ritmo que dá o tom da música brasileira. Aparentemente fora de sintonia com o título do CD, a capa está no tom de um disco que ‘sobe o morro’ sem sair do asfalto. O coração de Maria Rita batuca entre o fundo de quintal e o interior de uma boate. Se a percussão (a cargo de André Siqueira e Marcelinho Moreira) simula clima de terreiro na introdução e no fim de ‘Saco cheio’, hit de Almir Guineto em 1981, o piano serelepe de Rannieri Oliveira se insinua ‘jazzy’ em passagem instrumental de ‘Fogo no paiol’ (2010), tema de Rodrigo Maranhão que não incendeia.

Produzido sob a direção musical da própria Maria Rita, o CD tem arranjos de um pianista, Jota Moraes, hábil ao encontrar o tom do samba romântico ‘Abismo’ (Thiago Silva, Lele e Davi dos Santos). Destaque do repertório, ao lado do samba feliz e iluminado fornecido por Joyce Moreno (‘No mistério do samba’) e dos três sambas do bamba Arlindo Cruz, ‘Abismo’ contemporiza dor de amor. Dor da qual o samba é o mensageiro em ‘Vai, meu samba’, grande faixa de clima ‘cool’ e ritmo lento, quase solene. O samba é de Noca da Portela.
Na cadência bonita do samba, Maria Rita entra na ciranda de amores. No samba da turma do Quinteto em Branco e Preto (de SP), ‘No meio do salão’, ela enquadra o malandro sedutor (‘Se o bicho pegar desta vez / Vai sobrar para você’, avisa, cheia de moral). Mas deixa entrever um novo despertar afetivo ao fim de ‘Abre o peito e chora’.

Arlindo Cruz domina o fecho do disco no tom terno e grato de ‘Mainha me ensinou’ e com a beleza de ‘Rumo ao infinito’. “Eu não nasci no samba / Mas o samba nasceu em mim”, garante a cantora em ‘É corpo, é alma, é religião’, samba batido na palma da mão. Convence!

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: